A fé de Johnny Cash e sua amizade com Billy Graham

“Johnny Cash não era apenas uma lenda, mas também um amigo pessoal muito próximo”, disse Billy Graham certa vez. “Johnny era um bom homem que também lutava com muitos desafios em sua vida. Johnny era um homem profundamente religioso. Ele e June foram a diversas de nossas cruzadas durante um período de muitos anos.

“Ruth e eu tiramos várias férias com eles em sua casa na Jamaica e em outros lugares. Eles eram como irmãos para mim e para Ruth. Nós os amávamos. Eu anseio ver Johnny e June no céu um dia.”

Meet Me in Heaven (Encontre-me no Céu)

Johnny e June Carter Cash com Billy e Ruth Graham posam para foto no local da cruzada de 1978 em Kansas City.

Johnny e June Carter Cash com Billy e Ruth Graham posam para foto no local da cruzada de 1978 em Kansas City.

Estas são as palavras que os visitantes leem na lápide de Jack Cash, localizada nas proximidades de Nashville.

Isto também foi, por assim dizer, o que Johnny Cash encorajou os públicos de inúmeras cruzadas de Billy Graham a fazerem.

“Meet me in Heaven” é também o título de uma canção inspirada no irmão de Johnny Cash, de nome Jack, que morreu de maneira prematura e pode muito bem ter plantado a semente do evangelho no coração de seu irmão mais  novo.

“De todos os irmãos, o tio Johnny era o mais próximo a Jack”, disse Mike Garrett, sobrinho de Cash. “E Jack era uma grande testemunha do evangelho para a família, principalmente durante a última semana de sua vida.”

Jack sofreu ferimentos fatais em um acidente com uma serra de mesa em Dyess, Arkansas, onde os sete irmãos de Cash cresceram. Carrie, sua mãe, orou fervorosamente por todos os seus filhos, mas Jack – o terceiro filho antes do nascimento de Johnny – era o evangelista da família.

Ele viveu por uma semana após o acidente. A família se reuniu em seu quarto de hospital para ouvir suas últimas palavras: “Vocês conseguem vê-los? Vocês conseguem ver todos os anjos ao redor? Encontrem-me no céu” (Meet me in Heaven).

Ouça Meet me in Heaven:

 

Garrett entendeu, décadas mais tarde, que esse foi um dos eventos fundamentais nas vidas dos membros da família Cash: “Minha mãe (Louise, irmã mais velha de Johnny) disse que o quarto ficou iluminado, gerando um daqueles momentos misteriosos e de lampejo instantes antes de ele falecer.”

No entanto, vinte anos se passariam desde aquele momento até que o Homem de Preto enxergasse a luz.

Esses anos veriam os picos de sua fama, carreira e sucesso, mas também veriam os vales de trevas de sua adicção às drogas e ao álcool.

Apesar de tudo, sua família nunca titubeou e nunca parou de orar por ele.

Uma decisão por Cristo e uma nova amizade

“Nós morávamos em Memphis e o tio Johnny ocasionalmente vinha nos visitar, uma vez que ele morava em Nashville. Minha mãe sempre compartilhava o evangelho, orava com ele e tentava falar sobre Jesus”, lembrou Garrett.

“Um dia, em meados dos anos 1960, retornei da escola e minha mãe me disse que o tio Johnny havia lhe visitado e dito que se tornara cristão. Ele a levou para dar uma volta de carro pela cidade para contar a história. Ela pensou que eles sofreriam um acidente, pois ele estava muito empolgado em relação a sua nova fé em Cristo. Naquele ponto, ele compreendeu o que realmente significava seguir a Jesus. As orações da vovó Cash foram respondidas.”

A fé de Cash permaneceu intacta, apesar de sua luta contra velhos hábitos e encontros com demônios do passado. No início dos anos 1970, Billy Graham soube da fé relativamente nova de Cash e o convidou para fazer parte de cruzadas evangelísticas.

Billy Graham também convidou Cash para um relacionamento que se tornou uma amizade, e que foi se fortalecendo à medida que ambos envelheciam. Juntos, com suas esposas, visitavam as casas uns dos outros e passavam férias na propriedade de Cash na Jamaica.

“Lembro-me de o tio Johnny me dizer que ele havia começado a ir às cruzadas de Billy Graham, nas quais ele cantava e compartilhava seu testemunho. Ele fez disso uma alta prioridade – prioridade até mais alta do que as turnês de shows”, disse Garrett.

Uma vez Cash falou sobre suas lutas mundanas no palco da cruzada de 1989 em seu estado natal em Arkansas:

“Minha vida pessoal, meus problemas pessoais, têm sido amplamente divulgados. Tem sido dito coisas sobre mim que fizeram as pessoas perguntarem se Johnny Cash é realmente um cristão. Eu recebo grande conforto nas palavras do apóstolo Paulo, que disse: “Aquilo que quero fazer eu não faço, mas o que eu odeio eu faço. Não sou mais eu que o faz, mas o pecado que habita em mim. Quem me livrará do corpo dessa morte? É Jesus Cristo, nosso Senhor.”

Seu legado espiritual permanece

Conquanto muitos possam dizer que Johnny Cash foi instrumental em suas carreiras musicais, inúmeras pessoas têm creditado sua fé a Cristo ao testemunho que ele deu do evangelho.

Um culto memorial foi realizado em 2014 no local de sepultamento de Johnny Cash para a dedicação de uma nova lápide. Conduzindo a cerimônia, Garrett, que é pastor, abriu ao público de 200 pessoas para que compartilhassem quaisquer pensamentos ou memórias que honrassem seu tio.

“Não consigo dizer quantas pessoas se manifestaram afirmando que ele foi instrumental em relação à chegada da fé deles a Cristo”, disse Garrett. “E algumas delas disseram que ele as ajudou a limpar suas vidas, encaminhando-as para fora das drogas e do álcool em direção ao que é bom e distante do mal.”

Cash, que passou muito de seu tempo ministrando àqueles que estavam escravizados ao abuso de substâncias, disse o seguinte acerca de seu propósito último na vida:

“Somente alguém que teve tal problema (com abuso de substâncias) pode ter amor completo, compaixão e compreensão por tais pessoas. Eu amo adictos. E eu amo alcoólatras. Quando Jesus disse que foi enviado para curar os de corações quebrantados e pregar liberdade aos cativos, eu creio que essas eram algumas das pessoas às quais ele estava se referindo.”

“Se alguma pessoa perdida e solitária por aí em uma cama suja, em um quarto escuro, pode enxergar a luz de Jesus Cristo em mim, então esta é a minha recompensa.”

Johnny Cash e Billy Graham durante a cruzada de 1987 em Columbia, sul da Califórnia. “Poder me apresentar nessas cruzadas é a ‘cobertura do bolo’”, disse a lenda da música country e amigo íntimo dos Grahams. “Eu amo me apresentar com Billy; Eu adoro ouvi-lo pregar.”

Confira uma das apresentações de Billy Graham no The Johnny Cash show em 1971:

Johnny Cash canta “Preacher Said, Jesus Said”, com Billy Graham. Essa canção com Billy Graham apareceu no álbum “Man in Black”, de 1971.

Billy Graham prega no The Johnny Cash Show:

Confira algumas fotos de Johnny Cash e Billy Graham ao longo dos anos:

Na plataforma durante a cruzada de 1976 em Detroit.

 

 

Franklin Graham e Billy Graham compareceram ao tributo de 1993 a Roy Rogers e Dale Evans em Los Angeles com Johnny e June Carter Cash. “Em seu coração, Johnny Cash era um evangelista. Johnny Cash frequentemente cantava nas cruzadas de meu pai, trazendo um número incontável de pessoas que, de outra forma, talvez nunca teriam ouvido o evangelho”, disse Franklin a respeito da lenda da música country: “Ele era um grande amigo de nosso ministério.”

 

Nos bastidores durante a cruzada de 1974 em Norfolk.

 

Nos bastidores da cruzada de 1985 em Ft. Lauderdale, na Flórida. “Ele e eu passamos muito tempo discutindo algumas questões e decidimos que eu não havia sido chamado para ser um evangelista”, disse Cash a respeito de Graham em sua autobiografia de 1997. “Ele me aconselhou a continuar cantando ‘Folsom Prison Blues’, ‘A Boy Named Sue’ e todas as outras canções de fora-da-lei que eu cantava, se era isso que as pessoas queriam ouvir e, quando chegasse a hora de compor uma canção cristã, que eu desse o meu melhor.”

 

Billy Graham e cantora country Barbara Mandrel se apresentaram no programa especial de natal de Johnny Cash em 1976.

 

Billy Graham se apresentou inúmeras vezes no The Johnny Cash Show, que durou foi no ar no período de 1969-1971. Esta foto foi tirada durante uma apresentação de 1971. O programa de Cash foi um dos primeiros lugares em que gerou manchetes por compartilhar sua fé.

 

Ruth Graham, June Carter Cash, Johnny Cash e Billy Graham adorando juntos na plataforma durante a cruzada de 1979 em Tampa. Os casais Cash e Graham eram muito próximos, tendo passado tempo nas casas uns dos outros, mesmo quando o outro casal estava viajando. Billy Graham uma vez disse que Johnny e June ficaram em sua casa nas montanhas da Carolina do Norte enquanto ele e Ruth estavam viajando. Eles encontravam bilhetes engraçados e amorosos pela casa.

Fonte: http://tuporem.org.br/a-fe-de-johnny-cash-e-sua-amizade-com-billy-graham/

Traduzido e adaptado por Jonathan Silveira.

Textos originais: Johnny Cash’s Faith and Friendship with Billy Graham
Johnny Cash and Billy Graham Through the Years.
Billy Graham Evangelistic Association.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *